Tem tanto – música de Luciano Nunes

Tem tanto – Música Própria.

Mais uma música que compus e que estou colocando no ar. Fala do momento que vejo a politica atual brasileira, onde quer que se aponte, se acerta um rato. A lama toma conta de todos os degraus do poder, pois ela toma nossa alma e nos faz reféns de nós mesmos.

Afinal de contas, quem escolhe esta escória é o povo. E o povo é quem deixa a situação indo na mesma direção nas mãos de quem não sabe dirigir este planeta. Precisamos revisar nossas metas e rever nossos dirigentes.

Letra / Cifra

EM G D AM – repete até o fim

Tem dia de sol
Tem noite de lua
E todo politico
ja roubou grana sua
Tem o céu é azul
Tem o mar é tão belo
tem politico que rouba até
 o verde e o amarelo
Tem gato que mia.
Tem cachorro que late.
Bobeou com político
rouba até no chocolate.
Tem partido vermelho
Tem  partido azul
Tanto faz a cor
sempre Tomamos no cu.
Tem gente que fala
tem gente que escuta,
mas todo politico
É um filho da puta

Meninos e meninas – voz e violão

Meninos e meninas – legião urbana

Meninos e meninas é uma das músicas mais famosas de Renato Russo. Ela é cheia de poesia e significados .
Você consegue perceber todos?

Mais uma música gravada ao vivo com celular. Meninos e meninas da legião urbana.

 

Aproveitar o final de 2017 e mandar mais uma do mestre Renato Russo.

E aí? Gostou? Deixe seu comentário

 

 

 

Meu amigo Pedro – Raul Seixas – Letra e vídeo

Música Meu amigo Pedro por Luciano Nunes

Meu amigo Pedro. Em homenagem ao meu amigo Leandro Lupi, que sempre canta essa música. Raul sempre com suas músicas crônicas que fazem com que pensamos nos caminhos que seguimos em nossas vidas.

 

Muitas vezes, Pedro, você fala
Sempre a se queixar da solidão
Quem te fez com ferro, fez com fogo, Pedro
É pena que você não sabe não

Vai pro seu trabalho todo dia
Sem saber se é bom ou se é ruim
Quando quer chorar vai ao banheiro
Pedro, as coisas não são bem assim

Toda vez que eu sinto o paraíso
Ou me queimo torto no inferno
Eu penso em você, meu pobre amigo
Que só usa sempre o mesmo terno

Pedro, onde você vai eu também vou
Pedro, onde você vai eu também vou
Mas tudo acaba onde começou
Tente me ensinar das tuas coisas
Que a vida é séria e a guerra é dura
Mas se não puder, cale essa boca, Pedro
E deixa eu viver minha loucura

Lembro, Pedro, aqueles velhos dias
Quando os dois pensavam sobre o mundo
Hoje eu te chamo de careta, Pedro
E você me chama vagabundo

Pedro, onde você vai eu também vou
Pedro, onde você vai eu também vou
Mas tudo acaba onde começou

Todos os caminhos são iguais
O que leva à glória ou à perdição
Há tantos caminhos, tantas portas
Mas somente um tem coração

E eu não tenho nada a te dizer
Mas não me critique como eu sou
Cada um de nós é um universo, Pedro
Onde você vai eu também vou

Pedro, onde você vai eu também vou
Pedro, onde você vai eu também vou
Mas tudo acaba onde começou
É que tudo acaba onde começou

 

De Raul Seixas e Paulo Coelho

A vida não presta – Léo Jaime

A vida não presta

A vida não presta é uma das musiquinhas de Léo Jaime que ouvia quando era pequeno e muitas lembro da letra sem nem pensar muito. Realmente os anos 80 foram sensacionais.

Mais uma faixa dos covers feitos em meio a bagunça do dia a dia.

Composição: Leandro/Leo Jaime/Selvagem Big Abreu

Você vai de carro prá escola
E eu só vou a pé
Você tem amigos à beça
E eu só tenho o Zé…

Prá consolar
As tardes de domingo
Que eu passo à sofrer
Sonhando em ter
Um carro conversível
Prá você me querer…

Quantas noites
Em claro eu passei
Tentando te esquecer
Quando à noite
Eu consigo dormir
Eu sonho é com você…

A me dizer:
Prá não ter ilusões
Que entre nós não pode ser
E é mesmo assim
Nem mesmo no meu sonho
Eu posso ter você prá mim…

Eu tentei naquela festa
Você fugiu de mim
E eu pensei:
A vida não presta
Ela não gosta de mim…(2x)

Eu pensei:
Ela não gosta de mim
Oh! Oh! Oh! Oh!
Ela não gosta de mim…

Eu pensei:
A vida não presta
Ela não gosta de mim
Oh! Oh! Oh! Oh!…

Eu pensei:
A vida não presta
Ela não gosta de mim
Uh! Uh! Uuuuuuuh!…

Zé Ninguém – Versão Camisa Preta

Luciano Nunes Sombra

Zé ninguém é uma letra que desafia a pensar

Filho da geração coca-cola ou um Zé Ninguém? Tenho eu que reconhecer que certas bandas fazem com que alguns cérebros passem a  funcionar. E esta letra é daquelas. Os anos tem passado e pouco tem mudado. Não sei exatamente onde é que estamos fazendo errado, mas temos que começar a achar sentido a todo este tempo desperdiçado.

Ou vivemos uma nova realidade ou vamos continuar sendo amordaçados. Gravar esta música foi um dos passos para voltar a vê-la sendo ouvida e é claro, homenagear aqueles que me acordaram e para que mais gente se ilumine e entre nesta corrente.

Se quiser ouvir mais músicas, visite meu perfil no SoundCloud. Veja mais postagens clicando aqui

Letra Zé Ninguém

Quem foi que disse que amar é sofrer? Quem foi?
Quem foi que disse que Deus é brasileiro
Que existe ordem e progresso
Enquanto a zona continua no congresso?

Quem foi que disse que a justiça tarda mas não falha?
Que se eu não for um bom menino, Deus vai castigar
Os dias passam lentos aos meses seguem os aumentos
Cada dia eu levo um tiro
(Que sai pela culatra
Eu não sou ministro, eu não sou magnata)

Eu sou do povo, eu sou um Zé Ninguém
Aqui embaixo, as leis são diferentes

Eu sou do povo, eu sou um Zé Ninguém
Aqui embaixo, as leis são diferentes

Quem foi que disse que os homens nascem iguais?
Quem foi que disse que deputado não ganha mensalão
Se tudo aqui acaba em samba?
No país da corda bamba, querem me derrubar!

Quem foi que disse que os homens não podem chorar?
Quem foi que disse que a vida começa aos quarenta?
A minha acabou faz tempo, agora entendo porque
Cada dia eu levo um tiro
Que sai pela culatra
(Eu não sou ministro, eu não sou magnata)

Eu sou do povo, eu sou um Zé Ninguém
Aqui embaixo, as leis são diferentes

Eu sou do povo, eu sou um Zé Ninguém
Aqui embaixo, as leis são diferentes

Eu sou do povo, eu sou um Zé Ninguém
Aqui embaixo, as leis são diferentes

Eu sou do povo, eu sou um Zé Ninguém
Aqui embaixo, as leis são diferentes

Os dias passam lentos
Os dias passam lentos
Cada dia eu levo um tiro
Cada dia eu levo um
Eu não sou ministro, eu não sou magnata

Eu sou do povo, eu sou um Zé ninguém
Aqui embaixo, as leis são diferentes

Eu sou do povo, eu sou um Zé ninguém
Aqui embaixo, as leis são diferentes

Eu sou do povo, eu sou um Zé ninguém
Aqui embaixo, as leis são diferentes

Eu sou do povo, eu sou um Zé ninguém
Aqui embaixo, as leis são diferentes

Eu sou do povo, eu sou um Zé ninguém
Aqui embaixo, as leis são diferentes

Eu sou do povo, eu sou um Zé ninguém
Aqui embaixo, as leis são diferentes

Eu sou do povo, eu sou um Zé ninguém
Aqui embaixo, as leis são diferentes

Eu sou do povo, eu sou um Zé ninguém
Aqui embaixo, as leis são diferentes

Que leis?

Written by Bruno Gouveia, Miguel Cunha • Copyright © Universal Music Publishing Group

Música nova a caminho

Pois não é que a organização e o foco estão me fazendo bem?

Eu não sou profissional do ramo mas as vezes sai uma letra, uma rima, uma música. Essa e mais uma.

É, depois de anos com papeis jogados por ai, fui recolhendo todos, colocando em uma só gaveta. E por fim catalogando e  musicando o que escrevi durante todos estes anos. E não é que estou achando coisas interessantes?

Desde os tempos de escola fui incentivado a escrever, afinal estudei no EEPG Mário de Andrade, tinha de ter sido inspirado por suas obras e seus corredores. E achei desde músicas bobas a críticas pesadas. E vou musicando todas.

Só estou com dificuldades no seguinte: será que junto tudo e gravo o Eu que fiz inteiro, assim consigo ter uma  obra fechada ou tento ir gravando e lançando? Acabei gravando o Donos do senado de forma corrida e bem porca e hoje sinto vergonha por ter sido tão preguiçoso ( ou ter feito correndo sem tempo), mas seja qual a desculpa, vou continuar indo organizando as coisas para que elas me levem a novos sons.

E você? acha melhor ter um pouco a cada mês ou um disco todo a cada ano? Deixe seu comentário ai embaixo, valeu!

Primeira música de 2017: Donos do Senado

Em um ano onde tudo girou sobre política, donos do senado não poderia fugir do tema.

Donos do senado são aqueles que chegaram primeiro. Lembro que quando fiz a primeira frase ela saltou da mente sem muito controle  e logo fiquei pensando: Vou começar uma música falando de maconha? Pois bem. Como chocar tão rápido quanto colocando o assunto já no começo?

Então dai larguei a música parada e em um dia escuro acabei fazendo o restante dela enquanto gravava ao vivo esta base. Estou aprendendo a usar o Garage Band ainda e não tenho a menor noção de quando é que vou conseguir aprender corretamente. Mas tenho me arriscado.

Segue a letra abaixo e o resultado do que sai de Donos do Senado. Espero que gostem, não espero que entendam a principio, mas espero que respeitem.

Os caras da escola me ensinaram a colar
A passar de ano sem matéria estudar
Matar a aula e sair pra ir namorar
Colocar o nome no trabalho que nem sei como apresentar
os manos do bronx me ensinaram  fumar
fazer aquela perna de grilo pra poder relaxar
fazer aquele rolezinho quando o trampo acabar
deixar o stress de lado, não deixar me dominar
os miguxos da mada me ensinaram a cheirar
fazer a carreirinha, uma aqui, outra acolá
deixar a fome de lado e recomeçar
virar a noite alucinado sem conseguir parar
os brodi de brasa me ensinaram a roubar
Derrubar inimigo sem o topete amassar
fazer textão no facebook sem a dilma insultar
um acordo, um coronel pra minha vaga conquistar
Dia a dia modelado
aprender a sofrer calado
Tomar tiro aprendizado
posso ser condecorado
ninguém é condenado
Filhos de um deputado
posso fazer o que quiser
ser eu for o dono do senado
O dono do Senado
O dono do Senado
Notas CIFRA
B# Bm Em
B# Bm Em
B# Bm Em
B# Bm A
B# Bm Em
B# Bm Em
B# Bm Em
B# Bm A
B# Bm Em
B# Bm Em
B# Bm Em
B# Bm A
G F#

SITE NOVO NO AR

Ah, como é bom começar o ano com site novo.

Mas pera ai Luciano Nunes, ca$%a! estamos em setembro e ainda falo em começar o ano? Pois bem, este ano foi um ano de muitas conquistas, mas de muito trabalho Estar vivo ainda é sinal de que eu sou brasileiro e não desisto nunca. Mesmo a tia Dilma levando meus bens como o Furacão Irma levou o CAribe embora, estou sobrevivendo da melhor forma possível.

Mesmo depois do Japonês miserável ter destruído meu antigo blog, hoje venho com muita humildade fazer o que eu devia ter feito em 1998: Montado meu blog e começado a escrever e cantar. Pois bem, reuni todos meus vídeos de músicas do youtube, minhas músicas do SoundCloud e deixo aqui disponível para que todos possam ouvir e divulgar. Óbvio que tenho auto-critica e sei que minhas produções não foram das melhores: a falta de capricho unida a falta de tempo me fizeram subir todas estas músicas no ar sem o devido cuidado técnico.

Claro que fiz um estudo amplo de como fazer tudo, mas a vontade de cantar e ser ouvido me leva sempre a me autosabotar. Então por que eu coloquei no ar? Pq se não tivesse colocado, não ouviria as criticas e não tentaria melhorar, acharia que sou foda. Então pra me desafiar, estou criando este joguinho de mostra, se desculpa, refaz melhor e pede pra ouvirem novamente.

Pois bem, me siga ai nas redes sociais que estão do lado direito, veja meus vídeos na página de vídeos ( estão todos ai ) , baixe meus mp3,s ouça e depois me deixe um comentario aqui no Blog. Vou adorar ouvir suas opiniões.

Valeu mesmo!

Olá, mundo! Assim recomeça a caminhada do blogueiro

Bem-vindo ao WordPress. Esse é o seu primeiro post. Edite-o ou exclua-o, e então comece a escrever!

Eu fazendo ponto na esquina

Pois bem, Assim recomeço eu este papo de ser blogueiro. Sim, digo recomeço pois não sei bem de onde parei e se quero reaver tudo aquilo que tinha antes neste site. Fui invadido, meus arquivos estão backupeados, tenho os posts todos guardados, fotos idem. Mas e a vontade de ter tudo novo? Onde fica?

Originalmente, eu queria algum espaço onde eu pudesse me expressar. Comprei este domínio com este intuito de escrever minhas poesias, meus assuntos preferidos, que as vezes davam eco quando eu falava mas que muitas pessoas não compreendiam.

Acabei me transformando em um vampiro que postava todas as desgraças do mundo somente para ganhar audiência, pois foi assim que o público se interessou em meus posts. Depois, dicas de informática para ter um público mais monetizável. Galguei espaço, colocando vídeos no youtube e criando uma audiência própria. Mas sempre ficava querendo aquilo que eu de inicio sonhei: fazer poesia, cantar, tocar e se der, mudar o mundo.

Mas tudo ao mesmo tempo na mesma hora não dá certo

Hoje eu tive uma escolha a fazer: Ou sou um blogueiro que fala de tudo e não comunica nada, ou faço o que amo e isso reverbera o quanto eu permitir. Então foi isso.

Acho que chegamos ao fim do blog sobre Brooklin, política, reclamações, dicas de informática e vamos separar isso por partes, como diria Jack o estripador ( brooklin e notícias no www.berrinews.com.br e dicas de informática no www.caradainformatica.com). Serviços de informática no www.infonunes.com e aqui… bom aqui…

Aqui vou deixar minhas músicas, poesias, textões sobre a vida na terra e um pouco mais que lhe couber.

Se quiser me seguir, agradeço a companhia. Bora começar esta nova jornada.

Até já.

RIP Chorão – Reflexões sobre a morte de Alexandre Magno Abrão #01

Motovlog sobre o o dia em que o Chorão morreu.

Saí pela manhã daquele  de casa com a notícia  da morte do cantor da banda Charlie Brown Jr, Chorão. Filho, pai, marido, cantor, ídolo. O cara que revolucionou o rock unindo rimas raras a riffs pesados e melodiosos.

O rock perde mais um ídolo para o Matrix. Um dos caras que mais senti a morte nos últimos anos. Um gênio que foi destruído, na minha opinião, pela depressão, causada me parte pela falta do pai, em parte pela separação da esposa e muito por causa da cocaína.

Ter se apoiado em algo que ele mesmo falava que estava livre. Foi a sua bengala que acabou lhe matando. Se apoiou em algo que somente te derruba.

Que mais pessoas consigam sair da depressão e que nào usem drogas para mascarar suas fragilidades. A cocaína ou outras drogas controladas fazem com que as pessoas mascarem os sintomas de algo.

Você toma uma aspirina para uma dor de cabeça, mas não tenta localizar o local da dor, a razão, se é intestinal, se é vista, algo que você comeu. Você simplesmente mascara a dor e segue em frente. Com as drogas é a mesma coisa.

Umas te socializam, outras te isolam. Mas todas, tenha certeza, você não consome drogas, as drogas é que nos consomem.

RIP Chorão. A música caiçara brasileira nunca mais será tão boa.

No vídeo falo um pouco sobre o que achamos que é a felicidade.

Sobre a superação dos problemas e de tudo que existem de desafios nesta vida. Temos que ter fé, superar as coisas que nos deprimem e voltar a sentir ao invés de vestir.

Fazer o bem, independente de quem. Menos foda-se e mais ame-se.