Blues da piedade – Cazuza By Luciano Nunes

Blues da Piedade – Voz e violão

Este blues é um daqueles tapas na cara que Cazuza dava na sociedade. Hoje vejo várias mensagens subliminares que ele passava em meio a suas músicas. Nessa ele fala sobre as prisões mentais cotidianas.

Quando nascemos somos programados – Conhece esta outra frase?

Pois bem, Cazuza e Renato Russo bebiam na fonte. Usavam do bom Whisky a Cocaina, além de outras drogas que abriam a consciência e por fim acabavam por engolir as pessoas. Claro que existem pessoas que sabem voltar de uma bad trip. Outras nào.

Ambos sabiam da existencia da Matrix, mas viviam na Matrix e por fim não resistiram a suas próprias existencias. Pois somos feitos para sofrer, criados num cristianismo cheio de culpas e méritos, que nos fazem querer morrer por seguirmos nossos instintos animais e não sentimos mais que o mundo nos muda, como na parte do Vive contando dinheiro/ E não muda quando é lua cheia.

Nós somos influenciados por nossos pais, família, vizinhos, bairro, cidade, país, e cada um vai nos fracionando. Tirando de nós a individualidade e nos trazendo a uma massa de manobra, simples de manipular por meio de programação neurolinguística, publicidade e propaganda.

Sexo, comida, fome, medo, tudo sendo enfiado via goela diariamente sem que possamos nos defender. Após uma foto de um amigo no Instagram, aparece uma foto de um produto, comida ou algo que você precisa achar que é verdade ou necessário. Ou algo que lhe abra o apetite, seja ele gustativo ou sexual.

Enquanto isso escuto na MTV a música que deve chamar minha atenção: Olha a poupa da Bunda, Da bunda, da bunda, da bunda, olha a polpa da bunda.

Letra

Agora eu vou cantar pros miseráveis
Que vagam pelo mundo derrotados
Pra essas sementes mal plantadas
Que já crescem com cara de abortadas

Pras pessoas de alma bem pequena
Remoendo pequenos problemas
Querendo sempre aquilo que não têm

Pra quem vê a luz / Mas não ilumina suas minicertezas/ Vive contando dinheiro/ E não muda quando é lua cheia

Pra quem não sabe amar / Fica esperando alguém que caiba no seu sonho

Como varizes que vão aumentando / Como insetos em volta da lâmpada

Vamos pedir piedade
Senhor, piedade
Pra essa gente careta e covarde
Vamos pedir piedade
Senhor, piedade
Lhes dê grandeza e um pouco de coragem
Quero cantar só para as pessoas fracas
Que estão no mundo e perderam a viagem
Quero cantar o blues
Com o pastor e o bumbo na praça
Vamos pedir piedade
Pois há um incêndio sob a chuva rala
Somos iguais em desgraça
Vamos cantar o blues da piedade
Vamos pedir piedade.

Deixe seu recado:

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.