Incendio no centro seria culpa do Estado?

Muitas pessoas culpam “O Estado”pelo incêndio no Centro de SP

Vi atentamente diversos canais e meios de informação e a maioria aponta o Estado como o culpado pelo acidente. Eu até concordaria se acompanhado desta culpa, fosse demonstrado que ela é na verdade nossa.

Nós permitimos que uma figura fictícia, no caso o ESTADO, se torne o culpado pelo incêndio que começou por volta da 1 da manhã no centro de São Paulo. A primeira informação que tive foi me passada de que era uma briga e que gerou um incendio que tomou todo o prédio. Durante a evacuação, possivelmente da última vítma, o prédio entrou em colapso e caiu.

Em pleno 2018, nós jogamos fora a vida de uma pessoa, por enquanto, e outros pelo menos 21 milhões de reais no lixo por conta do Estado. Além da morte, do prejuízo material que já tivemos pelo abandono de quase 17 anos de um prédio, num local supervalorizado e cobiçado do centro de Sp, jogado fora por culpa de um tal de Estado.

Mas afinal, quem é o Estado?

O Estado é composto por um monte de gente, em boa parte, incompetente para limpar a própria bunda. Digo isto sobre a nossa sociedade atual. Somos um bando de filhinhos de papai, cada um com seu grau de conhecimento e de riqueza. Mas todos esperamos que um salvador, vindo dos céus ou de qualquer lugar  – desde que não tenhamos que tomar uma providência em relação a algo concreto.

Vivemos como zumbis tentando sobreviver a uma falta que é gerada por justamente quem deveria resolver o problema: Tanto o governo quanto os movimentos sociais estão entregues aos ratos. O governo por deixar um imóvel de ao menos 21 MILHÕES DE REAIS ser transformado em cinzas literalmente. E os movimentos sociais por virarem celeiros de movimentos políticos.

Os tais movimentos se moldam aos interesses políticos de determinadas pessoas. Tanto que cobravam aluguel para as pessoas morarem. Luz, água e esgoto feita com “gatos”( famoso jeitinho brasileiro). Tiram dos mais necessitados a dignidade. Controle de acesso feito a bala. Contagem de pontos pra subir na fila da tão sonhada casa própria.

E nós, sociedade, deixamos isto de lado, numa corrida desenfreada em busca de realizações materiais independentes. Deixamos de pensar no coletivo, nos fechamos em nosso próprio mundo. Nossa própria realidade. Onde as pessoas passando fome pôem ser os seres do outro lado do vidro. Aqueles que ficam invisíveis a nossas visões nos semáforos. Aqueles que usam terno e parecem honestos por seu vestir, linguajar ou aparentar. Nunca pelo seu SER.

Estamos com este ESTADO lastimável por estarmos neste estado lastimável de sociedade. Falimos a alguns anos ao deixar sermos governados pelos menos piores. Deixamos que os partidos sejam currais de gado voltado ao interesse dos grandes grupos de capital.

Sim o capital, tão importante para nosso desenvolvimento, tem marcado as cartas e nos feito de idiotas durante os últimos 30 anos.

Fomos feitos de escravos financeiros pelos bancos e seus sócios.

Politicos, banqueiros, sindicalistas, ruralistas e todos os setores que dão as cartas atualmente no Brasil tem em comum a grande ambição em gerar dinheiro fácil. Dinheiro fácil.

Dinheiro recebido por escravizar uma nação inteira por tentar buscar o sonhado casa, carro, escola particular, iogurte e internet. Com buscas simples da vida, somos escravizados a nosso empregos. Empregos que nem sempre gostamos. Com pessoas que nem sempre aturamos. E por fim vamos contaminando a energia negativa e vamos negativando o mundo e criando problemas em copos dágua. Como este caso do incêndio do prédio:

Tem solução prum problema de habitação tão grande?

Nosso ex presidente Lula nos diz que conseguiu criar milhares de vagas no Minha Casa Minha Vida, mas esquece que dar habitação aos que realmente não tem condições, é obrigação do Estado. Seja produzindo habitaçòes populares e criando um mercado  continuo de conjuntos habitacionais de qualidade, nos centros urbanos e não gerando cidades favelas dormitórios ao redor das capitais nacionais. Vemos isto em SP, Brasilia e  RJ . Imóveis com valores abssurdos que não podem ser pagos nem por quem quer o primeiro apartamento, nem para quem quer o tão sonhado cantinho pra chamar de seu o resto da vida.

Tais problemas são facilmente resolvidos, mas precisam de algo que se torna fundamental a uma nação jovem como a brasileira, que vai envelhecendo e deixando as crises acabarem com o desenvolvimento urbano nacional. Temos de ter PLANEJAMENTO, independente de qual seja o partido, o candidato, temos de ter um plano básico para começarmos a acabar com valores exorbitantes praticados pela falta existente e além disto, criar renda e trabalho nos centros urbanos, ampliando possibilidades com BOA VONTADE, TRABALHO E UNIÃO.

Acredito que com boa vontade possamos identificar quais prédios podem ser restaurados, reformulados, demolidos ou mesmo construídos com a UNIÃO de todos em cooperativas. Tanto os arquitetos, que podem ter ai pelo menos 700 andares para reformular, os moradores que podem ser capacitados e conseguir trabalho nas cooperativas, quanto da união ao gerar um fundo de investimentos público que possa ser fruto de lucro a todos. Se já cobram alugueis dos moradores de invasão, que o façam de forma mais lógica e igual: criem vagas de estacionamento, lojas e centros urbanos nos tetos e nos térreos dos prédios e com isso paguem a manutenção e as parcelas do financiamento dos imóveis.

Soluções que vemos em pequenos locais, mas nunca aplicadas em uma metrópole como São Paulo ou RJ. Temos de parar de esperar que os governantes tomem providências. Temos que tomar o poder do povo e colocar de volta a quem realmente tem que usufruir dele.

Por isso proponho um grande reset no Brasil. Precisamos reformatar todo nosso sistema societário e colocar nossa prioridades em pauta. Não devemos deixar que as tragédias nos mostrem o caminho a ser seguido. Temos de tomar providencias para que em todos os cantos deste país, tenhamos uma vida digna e possamos abrigar aqueles povos que circulam pelo globo a procura de paz.

Deixe seu recado:

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.