RIP Chorão – Reflexões sobre a morte de Alexandre Magno Abrão #01

Motovlog sobre o o dia em que o Chorão morreu.

Saí pela manhã daquele  de casa com a notícia  da morte do cantor da banda Charlie Brown Jr, Chorão. Filho, pai, marido, cantor, ídolo. O cara que revolucionou o rock unindo rimas raras a riffs pesados e melodiosos.

O rock perde mais um ídolo para o Matrix. Um dos caras que mais senti a morte nos últimos anos. Um gênio que foi destruído, na minha opinião, pela depressão, causada me parte pela falta do pai, em parte pela separação da esposa e muito por causa da cocaína.

Ter se apoiado em algo que ele mesmo falava que estava livre. Foi a sua bengala que acabou lhe matando. Se apoiou em algo que somente te derruba.

Que mais pessoas consigam sair da depressão e que nào usem drogas para mascarar suas fragilidades. A cocaína ou outras drogas controladas fazem com que as pessoas mascarem os sintomas de algo.

Você toma uma aspirina para uma dor de cabeça, mas não tenta localizar o local da dor, a razão, se é intestinal, se é vista, algo que você comeu. Você simplesmente mascara a dor e segue em frente. Com as drogas é a mesma coisa.

Umas te socializam, outras te isolam. Mas todas, tenha certeza, você não consome drogas, as drogas é que nos consomem.

RIP Chorão. A música caiçara brasileira nunca mais será tão boa.

No vídeo falo um pouco sobre o que achamos que é a felicidade.

Sobre a superação dos problemas e de tudo que existem de desafios nesta vida. Temos que ter fé, superar as coisas que nos deprimem e voltar a sentir ao invés de vestir.

Fazer o bem, independente de quem. Menos foda-se e mais ame-se.

Deixe seu recado:

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.